Pesquisa e Conservação

Testosterone Ethanate CyclePayday Loans In New Jersey. But it is worth noting that these tests were carried out on the blood cells. Therefore, it's too early to say about scientific evidence of Viagra In Canada influence on blood clots.

Pesquisadores em todo oceano Atlântico vêm dando atenção ao estado de conservação do mero, que está classificado como espécie criticamente ameaçada pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN, 2006). Há mais de dez anos protegida da pesca em todo Golfo do México, somente em 2002 a espécie recebeu a proteção de uma moratória específica no Brasil (IBAMA, portaria nº 121 de 20 de setembro de 2002). Com isso, se tornou a primeira espécie de peixe marinho a receber uma portaria específica que estabelece a moratória da pesca pelo período de cinco anos. Em 2007 a Portaria No. 42/2007 do Ibama prorrogou por mais cinco anos a proibição da captura do mero. Em 2012, esforços conjuntos dos pesquisadores do Projeto Meros do Brasil, do ICMBio, IBAMA e Ministério do Meio Ambiente produziram subsídios para proposição de nova prorrogação com a prioridade da realização de estudos de maior amplitude e de recomposição das populações de mero no país.

Em busca de mais recursos para a pesquisa e o aumento de ações em campo, no ano de 2002, um grupo de pesquisadores em Santa Catarina criou o Projeto Meros do Brasil.

Em 2007, atingindo quatro Pontos Focais no país, o Projeto Meros do Brasil foi contemplado com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Ambiental. Um incentivo que alavancou e vem ampliando as pesquisas e não somente sobre a conservação do mero, mas também dos ambientes marinho-costeiros associados como manguezais, recifes de corais e costões rochosos. O patrocínio da Petrobras possibilita a sistematização e aprofundamento dos estudos, envolvendo as comunidades locais e o conhecimento adquirido pelos pescadores de cada Ponto Focal do projeto.

Atualmente o Projeto está inserido em seis estados brasileiros: Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco, e Pará. As ações de pesquisa e conservação do projeto tem as atividades focadas na Biologia Pesqueira, Genética, Conhecimento Ecológico Local, Aquicultura Marinha, Educomunicação, Educação Ambiental e Mergulho científico em nove estados litorâneos do país.